quarta-feira, 12 de novembro de 2014

TIRADENTES




                               











                        Para Francisco Sales

Numa cidade antiga, Minas conta estórias
nas pedras tortas de uma tarde luminosa.
Os músculos de carvalho escravo as estenderam ali,
em ziguezagueado, para guardarem
o destino dos cascos dos cavalos.

No batente das portas, no arco das janelas,
no sereno das lanternas, dorme o tempo colossal.
Dorme sussurrando o limo longínquo do passado
no antigo chafariz de pedra.

Nos intervalos de ramagens
que nasceram no vão dos telhados
tudo é verde-acinzentado pois que debaixo
do céu eterno conspira a voz dos heróis,
a delicadeza das musas e a esfinge dos poetas.


.

5 comentários:

  1. Grande presente para o Kiko, merecedor, grande anfitrião.

    ResponderExcluir
  2. Com toda a certeza, mano Roberto Lima. O Kiko foi mil e Tiradentes também merece um mimo. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Minas é um caso de amor eterno, mano Pizano! Saudades grandes de você. Abração!!!

    ResponderExcluir

Reverbere!