quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Finados

















Findadas as coisas,
elas deveriam ser apenas examinadas
pois não existe fim
nas coisas passadas.
A manivela que movimenta
o tempo traz de volta
antigos momentos
adormecidos em âmbar
que desmancham a zanga
e em que se reencontra a quem se ama.
A gordura das juras,
em infinitas pernas
que adentraram pela nossa janela,
reacendem consecutivamente
as luas eternas.

Findados os encontros,
não deveria existir adeus,
se na casa dos contos
existem muitos romeus.
Cada qual,
por mais que seja diferente
e num diferente ritual,
tende a ser o mesmo de antigamente.
É assim que a linha do tempo
na qual se guardam as horas
é, na verdade, um círculo
em que a brevidade do vivido
nunca evapora.
Voltam-se os antigos amores
de outrora em repetidas estações
e diferentes amoras.



.

2 comentários:

  1. Supimpa, Bispo. "Antigos momentos adormecidos em âmbar", isso é um achado. Abração.

    ResponderExcluir

Reverbere!